Boeing recomenda suspensão das operações com 737 MAX

A Boeing recomendou nesta quarta-feira (13) que todas as operações com o avião 737 MAX sejam suspensas. A decisão da fabricante norte-americana ocorre três dias após o acidente com uma aeronave do mesmo modelo na Etiópia, em que todas as 157 pessoas a bordo morreram.

Em comunicado à imprensa, a Boeing afirma “ter plena confiança na segurança do 737 MAX”, mas ressalta que após consultar autoridades dos Estados Unidos — FAA (Administração Federal de Aviação) e NTSB (Conselho Nacional de Segurança no Transporte) — e do mundo, além de seus clientes, decidiu recomendar a “suspensão temporária das operações de toda a frota global do 737 MAX. Atualmente 371 jatos estão aptos a voar.

O que se sabe sobre o Boeing 737 MAX 8

A queda de um 737 MAX 8 da Ethiopian Airlines no domingo (10), que deixou todos os 157 ocupantes mortos minutos após a decolagem, foi decisiva para que diversos países e companhias aéreas mantivessem esse modelo de avião em solo até que haja uma investigação sobre as causas. Isso porque há menos de seis meses, outro modelo idêntico da Lion Air caiu em situação semelhante na Indonésia, matando todos os 181 passageiros e oito tripulantes.

O 737 MAX é a mais nova versão do tradicional Boeing 737 e começou a operar em 2017. É o modelo de avião comercial mais usado em todo o mundo.

“A segurança é um valor central na Boeing enquanto construímos aviões e sempre será. Não há maior prioridade para nossa empresa e nossa indústria. Estamos fazendo tudo o que podemos para entender a causa dos acidentes em parceria com os investigadores, implantar melhorias de segurança e ajudar a garantir que isso não aconteça novamente”, acrescenta a fabricante na nota.

No Brasil, a Gol anunciou na segunda-feira (11) a suspensão as operações com os sete MAX 8 que possui na frota. As aeronaves operavam rotas internacionais da companhia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *