Protocolo da Copa América prevê isolamento, testes a cada 48h e dispensa vacina

A Copa América no Brasil será realizada com a promessa de um extenso protocolo sanitário. Em entrevista coletiva realizada no Ministério da Saúde nesta segunda-feira, o titular da pasta, Marcelo Queiroga, deu detalhes sobre os cuidados que serão tomados durante a disputa da competição. Entre os pontos que precisarão ser respeitados, estão a realização de testagem das delegações a cada 48h, além do isolamento de atletas e comissões técnicas nos hotéis das cidades, sendo liberada a saída apenas para treinos, jogos ou questão de saúde.

Ainda de acordo com Queiroga, as delegações não precisarão ser vacinadas. A informação, entretanto, é contrária ao que disse o ministro-chefe da Casa Civil, Luiz Eduardo Ramos, no dia 31 de maio, quando afirmou em pronunciamento que uma das condições para que a Copa América fosse realizada no país seria a presença de delegações vacinadas.

– Já foi acordado nessa reunião com a nossa presença e a CBF por meio de video-conferência. São 10 times, com dois grupos: 65 pessoas por cada delegação. Todos vacinados. Foi a imposição que nós tratamos com a CBF – disse Ramos, na ocasião.

A explicação do ministro, dada nesta segunda-feira, é que a imunização não teria tempo hábil para ser completada antes do início das partidas.

– Exigir a vacinação ou vacinar os atletas nesse momento, eles não teriam imunidade até o início da competição. Então não é uma imposição a questão da vacina. Os que estiverem vacinados, melhor. Mas não se fará um esforço maior pra se vacinar esses atletas agora até porque a vacina, ela poderia até causar um tipo de reação e isso comprometer o ritmo competitivo dos jogadores – declarou o ministro.

Coordenador operacional da Copa América, o médico André Pedrinelli garantiu que os protocolos que serão seguidos durante a disputa da competição continental respeitam as normas que já são aplicadas no Brasil. Inquéritos epidemiológicos também precisarão ser preenchidos diariamente pelos médicos das delegações.

– O protocolo é uma evolução do que é adotado pela Conmebol e será dividido em várias fases: viagem, hospedagem, treino, jogo e retorno ao país de origem. Os jogadores também precisarão ser testados assim que chegarem aos hotéis – explicou.

Ao todo, cada delegação contará com cerca de 65 membros, além dos 450 participantes do staff da Conmebol, que serão divididos nas quatro sedes do torneio (Brasília, Rio de Janeiro, Cuiabá e Goiânia).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *