VTCLog recebeu R$ 335 mi em contratos sem licitação

A empresa VTCLog firmou oito contratos sem licitação com o Ministério da Saúde entre 2016 e 2018. As negociações que dispensaram o certame movimentaram aproximadamente R$ 335,4 milhões. A informação foi revelada nesta terça-feira (5) pela Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid-19.

À época da assinatura dos contratos, o ministro da Saúde era o deputado federal Ricardo Barros (PP-PR), atual líder do governo na Câmara. Segundo o relator da CPI, senador Renan Calheiros (MDB-AL), o ex-ministro teria facilitado a contratação da empresa ao extinguir, na estrutura da Pasta, a Central Nacional de Armazenagem e Distribuição de Imunobiológicos (Cenadi), órgão que tinha a função exercida atualmente pela VTCLog, de transporte e logística de insumos médicos, incluindo vacinas.

Presidente da comissão, o senador Omar Aziz (PSD-AM) reclamou da forma como a VTCLog foi contratada pelo governo e pediu que os contratos em questão fossem encaminhados ao Tribunal de Contas da União (TCU) para que o órgão esclareça “qual foi a justificativa que o ministro à época deu para dispensar essa licitação”.

“Sem nós termos pandemia, sem ter nada assim extra. Até porque, agora, se tivesse um contrato sem licitação neste momento, para transportar vacina, medicamento, respiradores, era até justificável dentro do Tribunal de Contas da União. Nesse caso específico, eu não estou lembrado, em 2017 e 2018, se houve alguma coisa que justificasse quase R$ 400 milhões de dispensa de licitação”, observou o senador.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *