Primeiro soldado russo julgado na Ucrânia por crimes de guerra é condenado à prisão perpétua

Vadim Shishimarin, de 21 anos, admitiu em julgamento que matou um civil de 62 anos em meio à invasão russa no nordeste ucraniano

Um tribunal de Kiev condenou nesta segunda-feira (23) um soldado russo de 21 anos à prisão perpétua por ser considerado culpado de crimes de guerra, no primeiro veredicto na Ucrânia desde o início da invasão russa, em 24 de fevereiro.

O sargento russo Vadim Shishimarin admitiu durante o julgamento na última quinta-feira (19) que matou um civil de 62 anos nos primeiros dias da ofensiva russa no nordeste ucraniano.

“Sei que você não poderá me perdoar, mas, mesmo assim, peço perdão”, afirmou Shishimarin à esposa da vítima ao mesmo tempo em que justificou seus atos como “ordens recebidas”.

A vítima empurrava uma bicicleta enquanto falava ao telefone. O tribunal também declarou o jovem culpado por assassinato premeditado.

“O assassinato foi cometido com intenção direta”, disse o juiz Agafonov. “Shishimarin violou as leis e os costumes da guerra”, acrescentou o magistrado.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *